class="post-template-default single single-post postid-8874 single-format-standard wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.5 vc_responsive" itemscope="itemscope" itemtype="https://schema.org/WebPage" data-adminbar="">

COMO O CORONAVÍRUS PODE AFETAR AS EMPRESAS DE ALIMENTAÇÃO

 em Informativos

O que está acontecendo

Estamos vivendo uma pandemia por conta do COVID-19, conhecido como Coronavírus. O momento exige máxima atenção. Além da saúde, essa situação tem um forte impacto financeiro.
Após frear viagens, o vírus começa a comprometer as empresas brasileiras. Mas os impactos não param por aí, o isolamento também afeta a produção.

Medidas tomadas

Em nota, o Ministério Público do Trabalho salientou a importância do papel das empresas para gerir crises na saúde pública e lançou recomendações para os empregadores. Além de fornecer lavatório com água, sabão e álcool em gel, uma medida de segurança é a flexibilidade de jornada.
Algumas empresas estão concedendo férias coletivas e outras estão em regime de home office, o que diminuiu o número de comensais nos refeitórios e consequentemente o faturamento.
O setor da saúde busca evitar o colapso, que poderia colocar em risco milhares e vidas, porém tudo isso impacta diretamente sobre a economia.

Alternativas

Uma alternativa para enfrentar este momento de prevenção, cuidados e isolamento, minimizando os impactos no faturamento de sua empresa são as vendas on-line.
Mesmo em casa, as pessoas ainda irão consumir, porém de um jeito diferente. Engana-se quem pensa que a venda on-line só acontece através de e-commerces sofisticados. É possível iniciar as vendas on-line através das redes sociais e whatsapp.
Preocupar-se com a logística de entregas pode ser algo extremamente estressante e que, eventualmente, pode desviar o foco da sua atividade principal. Por isso, utilizar o serviço de terceiros que cuidam da entrega dos produtos pode ser uma forma de resolver seus problemas comerciais nesse período.
Outra opção é funcionar com capacidade reduzida, oferecer mais espaço entre as mesas e facilitar o acesso as formas de higienização das mãos. Adotar um sistema em que os comensais não tenham contato com o buffet pode ser uma boa ideia. Comumente, o próprio usuário se serve, e, ao encostar nos talheres, pode ficar sujeito à contaminação. A equipe do refeitório pode ficar responsável pela montagem dos pratos ou porcionamento.

Postagens Recentes

Deixe um Comentário